Anjo Fiel

Declineo de meus ideais veneraveis
A mercê de pouco vividos sentimentos

Remeto me a face que cativa o pulsar de meu peito
Acorrento me ao olhar que de todo me enlaça

Virtude que sobre mim intensa desaba
Vivida desliza infinda sobre ti

Braços de penas que elevam me aos céus
Por sopros tenros contigo me conduzem

Haverei de perder me a teu chamado suave
Honrado no castigo de só lembrar teu nome

A guarda de teu leito invisivel restarei
Dourado escudo brilhante no cruzar da escuridão

Promessa e desejo, juramento e dedicação
Força de sentimento, terna vontade

Coroa de meu reino esvaece sobre queda minha
Decisão ultima antes de por ti me perder


Anjo Fiel (2° poema)


"Ao teu toque perco me em seu enlaço
Curvo a força de minhas asas a teu favor

Meu legado entrégo gentilmente em suas mãos
Liberdade de voo para onde for seu coração

Concedo lhe proteção eterna, interminavel
Atento a qualquer fagulha que gere a dor

Entrego lhe reverencias como um eterno guardião
A fidelidade de meus afamados e infindos dias

Já não sirvo a farda que herdei de meu pais
Me dispus de tudo para sentir seu calor

Revogo meu elo sagrado para estar contigo
E mesmo que por uma noite apenas, ser mortal

Haverei então de voltar ao fardo de meu batismo
E sofrerei as temiveis punições celestiais

Mas por cada momento de minha eternidade
Será valido por ter lhe conhecido

Agora o tempo me soprara de suas memória
s Havendo de restar apenas uma semente minha

Que sempre contigo estara Amparando-lhe por onde andar

Sou teu servo
Teu criado
Teu principe
E Seu escravo
Até mesmo vindo a ser teu amante
Sem porem jamais lhe tocar
Ainda assim... 
A seu lado sempre restarei"

Nenhum comentário:

Bersebah Designs© - Todos os direitos reservados